Deixar o Ego ir e Alma entrar

Todas as agitações e barulhos da mente. Toda a indecisão, o medo, a cobrança, tudo isso que nunca cessa. A busca pelo sucesso, pelo dinheiro, pelo amor, pelo reconhecimento. Toda a luta. De onde vem todas as preocupações, ambições e medos? E para onde isso nos leva?

Recentemente, tive contato com a energia amorosa do Dr. Wayne Dyer, quando li o prefácio do livro Peça e Será Atendido de Esther & Jerry Hicks e quando assisti ao documentário do próprio Dr. Wayne Dyer – The Shift.

Quando terminei de assistir ao documentário, as palavras “ouvir a música” ficaram ecoando em minha mente. Ao ouvir isso, eu percebi que a mudança começa no ponto em que deixamos de dar atenção a tudo isso que crescemos ouvindo, sobre como temos que “ser alguém e chegar a algum lugar e nos esforçar” . Todo esse falatório que ouvimos sem parar e que nos faz sentir que sempre estamos devendo algo, ou que alguma coisa está faltando e que o jogo nunca está completo. Completo, não no sentido de expansão e transformação, mas como uma cobrança interna, uma tensão constante que nos pressiona e sufoca, dia após dia. É como correr desesperadamente sem saber para onde (ou acreditando que até sabemos, porque afinal estamos lutando sozinhos e temos que ter o controle de tudo), quando o convite seria apenas caminhar, suavemente, sentindo nossa própria estrada. Ele fala sobre ouvir a música que ecoa dentro de nós e agir a partir disso. Que visão maravilhosa!

Quando ouvimos a nossa música interior e passamos a agir apenas a partir disso e não em busca de resultados, sentimos o caminho, aceitamos o convite de sairmos um pouco dessa loucura em nossas mentes e nos colocamos a serviço de algo maior, nos disponibilizamos em simplesmente nos conectar com essa Luz Divina em nós e projetá-la para fora a serviço de outros (compartilhando o nosso melhor talento com leveza, nosso amor, a gentileza e o auxílio onde quer que sejamos, de algum modo, necessários) e tudo vem até nós, portas se abrem, e os sinais vêm em resposta a essa mesma energia que foi oferecida e doada com amor.

A vida não passa mais a ser governada por algo que vem de fora de nós, não temos mais que copiar os passos de ninguém – cada um tem a sua própria jornada – posso viver bem e feliz a partir do que sou, e então, me colocando a serviço do bem maior, todas as coisas chegarão até mim. Esse amor e essa dedicação, tudo que passamos a realizar com amor, desde as tarefas mais simples, sem as interferências de ideias do tipo “onde isso irá me levar“, vai estreitando mais e mais o nosso contato com a Fonte. É assim que retornamos para a casa, onde tudo há em abundância e para todos.

Os sinais estão por toda parte e a música não para de tocar. A Fonte está sempre lá. E quando deixamos de nos alinhar com o Ego e o deixamos ir, com seus pensamentos barulhentos, nos rendendo a esse algo maior, tudo estará lá para nós. Dr. Wayne descreve o Ego como Edge God Out (na qual as iniciais formam a palavra EGO), que significaria deixar Deus de fora, que é o que fazemos quando nos deixamos dominar pelo Ego.

Ele diz que quando nascemos há um plano divino e tudo vai sendo orquestrado natuaralmente, desde que somos um embrião até os nove meses de idade, sem que tenhamos que nos preocupar com o que acontece a cada um de nós. Até o momento em que o Ego surge e muda tudo! E nos diz que somos aquilo que temos, e nos faz querer assumir o desesperador controle sobre tudo. Assim, tudo começa com os MEUS brinquedos, MEUS amigos, MEU trabalho, MINHA família, MINHA conta bancária e tudo o que temos que fazer a partir daí e de agora em diante, é olhar para fora e correr, contra o tempo, contra nós, para que o castelo de areia se forme e nunca desmorone. E a questão é que ele vai desmoronar, hora ou outra, não importa quanta areia e água eu coloque, não importa quantas medidas eu lance mão para defender tudo o que acredito que sou e todo o império que formei, porque suas bases não são sólidas, não são reais. E a qualquer ponto sempre me surgirá a ideia do que estou perdendo, pois sempre haverá um outro castelo maior e melhor que o meu. Então, nos perguntamos: Para quê?

A questão é que temos sempre que esperar que coisas extraordinárias nos aconteçam para transformar nossas vidas e então finalmente podermos nos sentir felizes. Mas, ouvindo a nossa música podemos começar agora mesmo a perceber, ver e sentir as coisas extraordinárias que já estão disponíveis para nós, podemos aproveitar a jornada da vida e nos deixar expandir e nos divertir com ela.

Nossa vida é a todo momento, é a cada instante, ela acontece nesse exato minuto, onde já somos cercados de amor e podemos ter acesso a tudo que já é nosso. A vida não acontece quando chegamos lá, quando conquistamos algo, quando temos o reconhecimento, o sucesso, o dinheiro. Porque quando caminhamos assim, diretamente conectados à Fonte do que já somos, desfrutaremos da paz e do bem-estar porque tudo o que necessitamos ou desejamos já faz parte de nós e o restante é apenas uma consequência.

Essa música, é a nossa Alma, a nossa Essência, é o que toca o nosso coração do modo mais profundo e único, é a orientação interior, pronta para nos guiar.

Essas foram algumas das minhas reflexões, o que a Luz de Dr. Wayne Dyer despertou em mim. E que essa Luz em mim possa despertar em tantos outros, a beleza de se viver uma vida baseada nesse amor e na confiança, em conexão com sua Alma.

Com todo o meu amor,

Natalia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s